Reciclagem de Madeira

A reciclagem tem um papel considerado importante na diminuição de resíduos sólidos. Sendo que no ano de 2010 a União Europeia reciclou 31% de todo seu lixo gerado, e considerando uma taxa de reciclagem de 1% do PIB da União Europeia. Porém, o Brasil recicla apenas 13% de seus resíduos urbanos, perdendo 8 bilhões por ano segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Os resíduos não aproveitados têm lotado lixões públicos, o que acaba sendo um sério problema ambiental. Então para acabar com esse problema, foi criado a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que estabelece princípios, objetivos, instrumentos e diretrizes para a gestão de resíduos sólidos. O tratamento desses resíduos possui a seguinte ordem de prioridade:

  1. Não Geração
  2. Redução
  3. Reutilização
  4. Reciclagem
  5. Tratamento de Resíduos Sólidos
  6. Disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos

A Lei 12.305/2010 vem obrigar que empresas e prefeituras se adequem. Entretanto, muitas prefeituras não conseguiram fechar os lixões, que serão substituídos por aterros sanitários, mas possuem custos elevados. Para implantar aterros sanitários é essencial reduzir o volume, pois se o volume de resíduos que é destinado em lixões for colocado em aterros, então em pouco tempo se tornará inviável economicamente.

Para reduzir o volume é necessário que se faça a reutilização com a compostagem, onde galhos, troncos e árvores trituradas e misturadas com outros resíduos orgânicos, produza um adubo de excelente qualidade. Também da reciclagem que resíduos como papelão, vidro e metais que possam voltar para as indústrias e diminuir a geração de novos resíduos. Com esses processos, o volume de resíduos diminuirá drasticamente, onde é possível tratar e depositar em aterros sanitários.