Produção de Bioenergia com Casca de Arroz

 

Produção de Bioenergia com Casca de Arroz

Com a necessidade cada vez maior de diversificar a matriz energética, e com a necessidade de dar um destino corretos para resíduos orgânicos da agricultura, muito se tem falado sobre a biomassa, neste artigo pretendemos mostrar a cadeia de biomassa, o que equipamentos são necessários para se entrar nesse mercado que tem crescido nacionalmente e internacionalmente. Hoje no Brasil a produção de energia de biomassa supera 8% da matriz energética brasileira, e segundo um estudo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) aponta que os investimentos em energia renováveis cresceram consideravelmente no mundo, principalmente em países em desenvolvimentos como China, Brasil e países africanos.
A produção de biomassa é extremamente lucrativa, pois a matéria prima é diversificada, podendo ser qualquer matéria orgânica, desde resíduos da colheita da safra da agricultura, como casca do café caroço do algodão, bagaço de cana, casca de babaçu, de cana de açúcar. Como também resto de madeiras, que não podem ser aproveitadas na indústria madeireira. Para ter uma dimensão do potencial energético usaremos o exemplo da casca do arroz que hoje no Brasil conta com nove usinas, em 2011 só o Rio Grande do Sul colheu nove milhões de toneladas de arroz sendo que 22% sendo de resíduo, e chegamos ao numero de 1,9 milhões de toneladas. Para ter dimensão do poder calorífico da casca o arroz uma tonelada equivale a dois barris de petróleo. A biomassa pode ser utilizada para produção de briquetes que é uma lenha ecológica que tem a grande vantagem por ser uma lenha limpa e de alto poder calorífico, podendo ser utilizado em indústrias olarias, cerâmicas, e fabricas de alimentos, e produtos. Outra utilização é usar em fornos de padarias e pizzaria por ser uma lenha higiênica. Além do uso de casas e pousadas. Sabendo desse potencial a Lippel possui uma parceria com a Embrapa para desenvolvimento de briquetes de diversas matérias como serragem de pinus e de eucalipto, sabugo de milho, bagaço de cana-de-açúcar, soca de algodão e outros, criando novas possibilidades de negócio.


Veja o potencial do Briquete:

  • Alto poder calorífico
  • Regularidade Térmica
  • Gera menos cinza e fumaça
  • Polui menos que combustíveis fósseis e que a lenha tradicional
  • Ocupa menos espaço para armazenagem
  • Fácil manuseio
  • Mais higiênico sem sujeira e insetos
  • Não usa aglutinante
  • Reduz o custo de geração de Energia
  • Ecologicamente correto
  • Diversa matérias primas para a produção de briquetes

Que saber mais:

Parceria Embrapa com a Lippel no portal Brasil http://goo.gl/4UTiJJ

Lippel equipamentos para casca de arroz http://goo.gl/mf0GIy

 


Compartilhar