Embrapa estuda o potencial da utilização do sorgo biomassa na geração de energia

A Embrapa esta desenvolvendo um estudando desde o final de 2013, que tem como objetivo avaliar o potencial do sorgo biomassa como fonte de energia. Os experimentos estão sendo realizados em Mato Grosso, utilizando um tipo de sorgo com um maior potencial de crescimento.

A proposta do estudo é avaliar a viabilidade do sorgo biomassa na biocombustão para geração de energia térmica em caldeiras, que pode ser utilizada para a secagem de grãos, ou em usinas e destilarias. Os materiais que estão sendo testados foram avaliados pela Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Alagoas (MG).

O sorgo biomassa é uma fonte renovável de energia e pode substituir o uso da lenha de eucalipto. Com a vantagem de possibilitar uma maior flexibilidade no uso da terra, além disto, o plantio pode ser feito por sementes e o seu grão pode ser utilizado para produção de ração animal.

De descendência africana, o sorgo se adapta bem ao clima, tolerando altas temperaturas e necessitando de pouca água para o seu desenvolvimento. O cultivo do sorgo pode ser totalmente mecanizado, podendo ser utilizadas as mesmas plantadeiras de milho e colheitadeiras de cana.

O sorgo biomassa permite uma rotação maior de cultivo, já que a planta pode ser colhida de 5 a 8 meses após o plantio. Enquanto o eucalipto precisa entre 3 e 4 anos para que possa ter seus cortes iniciais. Outra vantagem do sorgo é que, segundo pesquisas, sua produção pode chegar a até 60 toneladas de matéria seca por hectare.  


Compartilhar