Descubra como é feita a reciclagem de placas eletrônicas

Anualmente, 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico são descartadas em todo o mundo. No Brasil, são gerados por ano cerca de três quilos de lixo eletrônico por pessoa e o estado de São Paulo é o que mais envia sucata eletrônica para o exterior.

O lixo eletrônico são equipamentos como televisores, computadores, celulares e outros aparelhos que são descartados ou se tornam obsoletos. Atualmente, existem mais telefones celulares do que pessoas no Brasil, isto porque a cada dia novos modelos são lançados e as pessoas trocam seus aparelhos para se modernizar.

Os aparelhos eletrônicos que não servem ou funcionam mais precisam receber o destino correto, como prevê a Lei Nacional de Resíduos Sólidos, eles precisam ser enviados para centros especializados em reciclagem de eletrônicos ou serem devolvidos para o fabricante do aparelho.

Para a reciclagem, o lixo eletrônico é desmontado à mão, depois as peças são separadas por categorias: plástico, metal e baterias. Dentro dos computadores, por exemplo, existem 17 tipos de metais como cobre, prata e ouro. 

O plástico contido nos eletrônicos é primeiramente moído e derretido, então ele passa por uma máquina que o transforma em fios, parecido com espaguete. Quando o plástico em fios estiver resfriado ele passa pelo granulador, que o tritura em pequenos grãos que são vendidos para fábricas que utilizam este resíduo novamente para fabricação de seus produtos.

Quanto aos metais, existem apenas cinco empresas no mundo capazes de fazer a separação correta dos metais que estão fundidos. Uma delas é a Umicore, sua sede fica localizada na Bélgica, sendo ela responsável pelo processamento de 350 mil toneladas de resíduos por ano.

Na Umicore, os metais recebidos são triturados formando uma mistura homogênea, desta mistura é retirada uma amostra que é enviada para o laboratório. No laboratório são identificados os metais existentes no lote, desta forma, estima-se o valor que será pago pelos resíduos e a quantidade de recursos naturais que será recuperado.

Para a classificação dos metais é feita uma separação em lotes, juntando as partes homogêneas, como placas de circuitos, por exemplo. Feito isto, alguns metais são utilizados como uma espécie de imã, por exemplo, o cobre atrai ouro, paládio e selênio, e estes metais juntos formam uma liga. O mesmo processo é realizado com o chumbo, que atrai metais como prata e estanho, formando a segunda liga. A terceira liga é feita com o níquel, que atrai platina e ródio.

Na etapa seguinte, cada uma das três ligas é separada graças às características químicas de cada material, possibilitando a remoção de cada um da liga e ao final deste processo, os metais estão como novos e podem ser utilizados pelas mesmas indústrias que o utilizaram quando recém-extraído.

Fazendo a reciclagem do lixo eletrônico evita-se que estes resíduos sejam depositados em locais inapropriados e contribuam para a poluição da natureza, além de evitar que mais matérias-primas sejam exploradas.

 

A Lippel possui algumas máquinas para a trituração de plástico e trituração de lixo eletrônico, confira a baixo:


Compartilhar