Crescem os investimentos em energias sustentáveis

A tendência é que até o ano de 2030 sejam investidos mundialmente 630 bilhões de dólares em energias limpas, entre elas biomassa, solar e eólica.

No mundo, 138 países já estabeleceram objetivos ou termos políticos para as energias renováveis. A PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) apontou em seu relatório que no ano de 2012 os investimentos em energias renováveis no mundo foram de 244 bilhões de dólares.

Os estudos confirmam que há uma tendência de crescimento no investimento a energias renováveis. Espera-se que até o ano de 2030 os investimentos cheguem a 630 bilhões de dólares por ano.

A capacidade de energia renovável instalada no mundo já ultrapassou 1470 GW, sendo destes 115 GW instalados no último ano por diversos países, mantendo a tendência dos últimos anos, com um aumento médio de 8,5% da capacidade instalada.

Entre os países investidores em energias renováveis destaca-se a China, que no último ano obteve um aumento em 22% de seus investimentos, chegando 67 bilhões de dólares. O Brasil encontra-se entre os cinco países com maior capacidade energética renovável instalada, ao lado da China, Estados Unidos, Canadá e Alemanha.

No cenário brasileiro, destacam-se a produção de energia hidrelétrica, bioenergia e a solar. A produção de bioenergia no país só perde para os Estados Unidos e a Alemanha, que têm gerado 36 terawatts/hora no último ano. Enquanto que na energia hidrelétrica, o Brasil é responsável por 8,5% da capacidade global, ficando atrás apenas da China.

Entre as energias brasileiras com grande potencial estão a solar, eólica e a biomassa. Um estudo realizado pela WWF aponta que o Brasil é capaz de aumentar sua produção de eletricidade em 40% utilizando apenas seus recursos renováveis e investindo na geração de energia eólica e biomassa.

O potencial de geração de eletricidade a biomassa é calculado a partir da disponibilidade do bagaço da cana-de-açúcar, que é a sua principal matéria-prima. Atualmente, existem 440 usinas de cana-de-açúcar ativas no Brasil, porém a maioria delas produz energia apenas para suprir suas próprias necessidades energéticas.

De acordo com a ÚNICA (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), o potencial de geração de eletricidade através desta fonte é de 1,5 milhão de quilowatts/ano. Segundo o Instituto Acende Brasil, com a quantidade de canaviais existentes no Brasil, seria possível gerar cerca de 14 milhões de quilowatts/ano.

Outra fonte de energia renovável que possui grande potencial são os resíduos sólidos. Os resíduos florestais e industriais são a melhor oportunidade em curto prazo. Em contra partida, as florestas plantadas especialmente para esta finalidade possuem o melhor desenvolvimento a logo prazo.

Enquanto isto, na produção do pellet, o teor de umidade da madeira é diminuído e sua densidade aumentada, fazendo com que suas possibilidades de exportação sejam ampliadas, visto que o pellet de madeira é atualmente a forma de biomassa sólida mais negociada no mundo.

 

Para saber mais sobre a produção de energia a partir da biomassa clique nas imagens abaixo:


Compartilhar