Aumento de investimento em bioenergia no marcado brasileiro gera economia em setores industriais

Devido a época de estiagem, o custo de energia elétrica pode afetar empresas de setores industriais que dependem do uso de máquinas de maior porte.

Por conta de situações como essa, muitas industrias tem buscado meios de economizar energia elétrica para não ser pego de surpresa em épocas de alta.

É o caso de uma indústria de Itapetiniga – São Paulo que para ser capaz de reduzir custos no uso de eletricidade recorreu ao uso da bioenergia da biomassa. A empresa trabalha com o processamento de madeira para a produção de celulose para papel. Agora a empresa passou a destinar parte da madeira produzida e os resíduos de madeira da colheita florestal para uma finalidade diferente.

Parte da madeira agora está sendo destinada para o processo de secagem e trituração para produzir cavacos de madeira. São esses cavacos que são então aplicados na geração de energia, como?

Devido ao alto poder calorífico do cavaco de madeira, a indústria empregou os cavacos de madeira para a queima em fornalhas. Essas fornalhas preparadas para a produção de energia a partir do calor tem produzido cerca de 500 Kw de eletricidade a partir do cavaco. Visto que a quantia de energia elétrica produzida representa um excedente para a empresa, a indústria passou a utilizar apenas um terço da eletricidade produzida e o restante tem sido injetado na rede elétrica nacional para a venda.

Por meio deste processo, a indústria teve mais do que esperava conseguir por meio da bioenergia, pois, não apenas foi possível produzir energia o suficiente para a que fosse possível economizar nas épocas de estiagem, como também se tornou uma fonte constante de lucro, visto que uma grande quantia de eletricidade tem sido vendida na rede elétrica nacional.

O equipamento utilizado na trituração de madeira foi o Picador Florestal móvel Lippel Raptor 900 equipado com um motor diesel.


Compartilhar