As melhores práticas para a gestão de resíduos orgânicos verdes para fugir das multas ambientais e criar economia

Um resumo sobre as leis relacionadas ao descarte de resíduos

A legislação é bem clara quando se trata do descarte de resíduos e crimes ambientais. Em anos recentes foi instituída a Lei nº 12.305/10 que instituiu a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) que determinou as práticas necessárias para que ninguém venha a incorrer em um crime ambiental. Mas primeiramente, o que seria caracterizado como um crime ambiental?

Um crime é caracterizado por qualquer violação do direito comum, e no caso ambiental, se trata de qualquer ação que afete negativamente a fauna ou a flora, ou venha a causar poluição ao meio ambiente, como por meio do descarte incorreto de resíduos.

A violação das Leis referentes ao descarte dos resíduos sólidos pode ocasionar a penalização em forma de multas sobre o violador da legislação.

Porém, é possível evitar essas multas e penalizações e ainda gerar lucro na gestão dos resíduos sólidos.

 

O desafio na gestão dos resíduos orgânicos provenientes das podas e as consequências do descarte incorreto

É fato conhecido que a arborização em cidades, áreas residenciais e até mesmo empresariais é algo que torna o ambiente muito mais agradável e saudável, em especial para o meio ambiente. Porém, a manutenção destas plantas e árvores incorre em um grande volume de podas, o que pode gerar altos custos no transporte dos restos de poda, além de desafios no descarte ambiental.

O grande volume das podas leva a ser necessário um grande número de viagens em função do transporte do material até o local de descarga.

Além disso, o descarte do material bruto na natureza é uma das fontes dos gases de efeito estufa.

A decomposição aberta de galhadas, folhagens e restos de comida cria um acúmulo de gases do efeito estufa que são liberados na atmosfera.

Quem é afetado pelas normas de descarte ambiental?

Dito de forma simples, todo mundo. Todos que produzem lixo orgânico estão envolvidos, mas particularmente que realiza a jardinagem em grande escala, como prefeituras, empresas que contam com áreas verdes, prestadores de serviço de limpeza urbana, agricultores e condomínios.

Todos estes dependem de bons equipamentos para realizar o descarte apropriado dos resíduos orgânicos.

 

A solução para o descarte de resíduos – Compostagem

Para que a arborização de cidades e outras áreas seja um processo rentável, visto que a arborização é vital, é necessário realizar o reaproveitamento dos resíduos, e a melhor forma, é por meio da compostagem orgânica.

A compostagem apresenta a solução para os desafios enfrentado nas diversas etapas do manejo de podas e resíduos verdes.

 

Como funciona a compostagem em grande escala

A compostagem é um processo biológico em que microrganismos transformam os resíduos orgânicos em adubo orgânico. Essa decomposição da matéria orgânica é algo que já acontece no meio ambiente, mas a compostagem apresenta uma decomposição acelerada e controlada.

Esse processo pode ser feito em grande escala por colocar material mais seco em baixo e mais úmido em cima, e então, de tempos em tempos mexer o material para arejar todo o composto. O processo leva cerca de 4 meses mas produz um composto orgânico extremamente rico para a fertilização do solo.

 

Ok, Mas quais são os benefícios da compostagem

A compostagem traz benefícios em diversos áreas diferentes. Um dos benefícios é a economia em transporte de materiais.

Para que a compostagem seja realizada, é necessário que o material orgânico seja triturado, porém, o material pode ser triturado diretamente no ato de coleta das podas e pode atingir uma redução de 80% de volume em comparação com o material não triturado. Isso representa uma economia de até 80% em viagens para transportar a matéria, sendo possível levar uma quantia muito maior de material para o local de descarte ou compostagem, economizando tempo e recursos utilizados no transporte utilizado na limpeza urbana.

Outra vantagem, é que por meio da compostagem, a decomposição da matéria orgânica não libera gases do efeito estufa na atmosfera, então é um processo muito mais limpo, o que significa não se preocupar com multas por conta do descarte de material bruto.

Outra vantagem, é que por meio deste processo se cria um composto orgânico extremamente rico para a fertilização do solo. Agora, ao invés de simplesmente gastar tempo e dinheiro para jogar os restos de poda fora, se passa a ter em mãos um adubo orgânico que pode ser utilizado na jardinagem e arborização da cidade, condomínio, empresa ou em casas, porém, sem o custo de se comprar um fertilizante artificial.

Graças a isso é possível levar adiante planos de arborização de forma rentável e que venha a aumentar a qualidade de vida da população, e, para os prestadores de serviço, é um diferencial que permite a economia de recursos e a sua aplicação em novas formas de gerar lucro.

 

O que é preciso para começar

Primeiramente, é necessário a aquisição de um equipamento triturador de galhos para realizar a redução dos resíduos orgânicos provenientes da poda para que ela atinja a granulometria necessária para a realização da compostagem.

Depois, é necessário um local para a realização da compostagem e composteiras para quem quiser tornar o trabalho mais fácil.

Agora é possível também misturar restos de comida para a decomposição junto com os restos de podas, o que gera um odor muito menor do que deixar a comida decompondo sozinha.

Em seguida, é necessário mexer o material de tempos em tempos para arejar o material e esperar que o processo seja concluído.

É simples assim. Depois, basta aplicar o adubo onde desejar para melhorar significativamente a qualidade do solo, visto que este é muito rico em húmus.

Este adubo é rico em húmus

 

Resumo

A compostagem apresenta a solução na gestão de resíduos orgânicos e para escapar de multas e taxas referentes ao descarte incorreto de resíduos sólidos.

A compostagem incentiva o reaproveitamento dos resíduos, aproveitando o material para, ao invés de ser apenas descartado, ser utilizado em planos de arborização e na agricultura orgânica e sintrópica.

É totalmente agradável ao meio ambiente e reduz a quantia de gases de efeito estufa lançados na atmosfera.


Compartilhar