Bem Vindo à Lippel

Na cadeia produtiva de transformação da biomassa em combustível são aplicadas operações unitárias em etapas, dependendo do tipo da biomassa. A matéria prima de origem agrícola como palha, feno, cascas e caules apresenta características químicas e físicas diferentes dos tipos de biomassa de origem florestal. Para produzir o combustível sólido renovável com produtividade, compete a experiência de nossos processos implantados ao longo de nossa história.

Preparação da biomassa para uso como fonte de energia

A etapa inicial desse processo vai depender do tipo de matéria-prima de biomassa, do tipo de biocombustível que se pretende gerar e de características próprias da biomassa, como o tamanho das partículas, teor de umidade e densidade.

Nesta etapa acontece a redução e homogeneidade na dimensão das partículas. Os equipamentos de picagem e moagem no tratamento da biomassa são: trituradores de madeira, picador de cavacos, picadores florestais a tambor, picadores florestais a disco, triturador de galhos, picadores de madeira a disco, picador de madeira a tambor, moinhos de martelo, trituradores.

O peneiramento da Biomassa é a forma de classificar o tamanho das partículas e retirar a limpeza de impurezas. Consiste em utilizar classificadores de disco, peneiras rotativas, detectores de metal e medidores de umidade.

A densificação ou briquetagem da biomassa otimiza a logistica e resulta em produto industrializado conhecido como briquetes e pellets, que tem maior poder calorífico e ocupam menos espaço do que a forma original de biomassa solta, além de terem maior valor de mercado. Existem várias maneiras de compactar biomassa: briquetadeiras mecânicas, briquetadeiras do tipo extrusora, briquetadeiras de extrusão para moinha de carvão vegetal, briquetadeiras hidráulicas, briquetadeiras de rolos, peletizadoras. As fábricas de briquetes e de pellets devem ser instaladas próximas aos grandes centros e, de preferência, próximas da produção da biomassa que será compactada.

Silos pulmão, moegas, transportadores de correia, mesas dosadoras e roscas transportadoras são utilizados para movimentação e estocagem temporária até o ciclo final da combustão.

O ciclo final de todo o processo é a combustão. Para liberar a energia contida nos combustíveis sólidos, tando na forma compactada de briquetes ou pellets ou Biomassa solta, necessitamos de fornalhas ou queimadores de Biomassa e caldeiras.

Os gases quentes gerados nesse processo movimentam uma quantidade de indústrias dos mais variados ramos, desde uma pequena fornalha de uma padaria a uma caldeira de uma fábrica de cerveja. Utiliza-se secadores rotativos para diminuir a quantidade de água e o conseqüente aumento do PCI do combustível, assim os sistemas de queima não gastam energia para vaporizar a água contida na biomassa.

Geradores de gases quentes também conhecidos como queimadores de combustível sólido oferecem a solução completa para queima de biomassas de diversos tipos: queimador de briquetes, queimador de pellets e queimador pirolítico para biomassa com alto teor de umidade ou para biomassa pulverizada (queimador ciclônico).

O uso de alimentadores ou dosadores de fornalhas, com o sistema de grelha embutida na fornalha independente, é uma aplicação econômica e difundida em muitas fábricas de cerâmicas vermelhas.